CPAC 2024: Planalto Norte marcou notoriedade no evento

A Conferência da Ação Política Conservadora (CPAC), neste sábado, 6 e domingo, 7 de julho, em Balneário Camboriú (SC), teve representante nacionais e internacionais.

A região do Planalto Norte Catarinense foi representada pelo Grupo Planalto de Comunicação. Fabiano Freitas, Karyna Cubas e o Coordenador Willian Roskamp, participaram do evento e conversaram com várias lideranças políticas estaduais e nacionais. Norteados sempre pela defesa das liberdades individuais e uma economia independente, Fabiano e Karyna representaram o Planalto Norte de Santa Catarina no evento com o objetivo de fortalecer o nome da região na pauta conservadora. De acordo com Fabiano e Karyna, a região necessita de representantes tanto em nível estadual como federal, seja na Assembléia Legislativa, Congresso Nacional e Senado Federal. 

O cálculo é de que pelo menos 5 mil pessoas tenham passado pelo evento que teve como estrelas principais dois ícones da direita: O ex-presidente Jair Bolsonaro e o presidente da Argentina, Javier Milei. 

Mais Sobre o CPAC 2024

Destaque para a maciça participação das mulheres como palestrantes. Subiram ao palco deputadas catarinenses federal Júlia Zanatta e Caroline de Toni, estadual Ana Campagnolo , a especialista em Comunicação, Cíntia Chagas, a deputada à Assembleia da República Portuguesa Rita Maria de Matias, a ex-primeira dama Michele Bolsonaro entre outras lideranças. 

No sábado, o deputado federal Nikolas Ferreira (PL) palestrou durante um painel com o ex-presidente e disse que “se algo mudar”, ele tem três opções para 2026: “Jair, Messias e Bolsonaro”. Na mesma mesa, o governador de São Paulo, ex-ministro Tarcísio de Freitas (Republicanos) afirmou que “Bolsonaro ainda tem muito a contribuir”.

No domingo, o presidente do Partido Liberal, Valdemar da Costa Neto – que está proibido pela justiça de encontrar com o ex-presidente – foi claro ao dizer que Bolsonaro manda no partido e revelou que Eduardo Bolsonaro (PL) deve sair senador por São Paulo em 2026. No mesmo dia, o deputado federal Marco Feliciano (PL), terminou a palestra com uma oração e a seguinte frase “Presidente Bolsonaro em 2026. A direita está viva e está de pé”.

O próprio Bolsonaro, em seus discursos, não falou sobre candidatura, mas o grupo político, reforçando a polarização entre PL e PT, gerando expectativa para mais um duelo eleitoral histórico.


A reafirmação do nome de Bolsonaro foi feita em forma de citação explícita. Tarcísio disse que Bolsonaro “ainda tem muito a contribuir”, e Michelle afirmou que mulheres, esposas são “ajudantes”, “colaboradoras”.

Todos bateram na tecla de que 2026 passa por 2024 e pediram votos para candidatos a vereadores e prefeitos do PL, argumentando, que eles são cabos eleitorais importantes para deputados, senadores e para a presidência nas eleições daqui há dois anos.

O Governador Catarinense Jorginho Melo disse em seu discurso que Santa Catarina é o melhor estado porque o PT nunca governou aqui.

Ao lado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), Mello afirmou: “Santa Catarina é o melhor estado do Brasil porque o PT nunca governou aqui e não vai governar. Se Deus quiser, em 2026 nós vamos ter de novo Jair Bolsonaro como presidente do Brasil”.

Bolsonaro, que discursou na abertura do evento, reforçou a união da direita e a determinação em mudar o rumo do país. “Juntos, podemos redirecionar o destino desta nação. Podemos, não. Nós redirecionaremos o futuro desta nação. Somos um país que tem tudo para ser destaque do mundo. Falta pouquíssima coisa. Tenho certeza que nós atingiremos juntos esse objetivo. Não tenho ambição pelo poder. Eu tenho uma obsessão pelo nosso Brasil”, declarou o ex-presidente.

Autor:

Publicado em:

08/07/2024

Compartilhe:

Pesquisar Notícia

Increva-se

Receba as últimas notícias, eventos e ofertas especiais diretamente em sua caixa de entrada.​